Procura rápida


ATIVIDADES CIDAC

Loja de Comércio Justo do CIDAC - 10 anos!

Em 29 de novembro de 2011, abria a loja associativa do CIDAC, dedicada ao Comércio Justo. 10 anos celebrados neste vídeo!

____________________________________________

Redes
Março. Trabalhar em articulação com outros coletivos, numa lógica de complementaridade e de reforço mútuo, tem sido uma constante na história do CIDAC, assumindo formatos muito diferentes em função dos objetivos a que nos propomos. Mais...
 
Sobe sobe preço sobe
Fevereiro. Temos vindo a assistir a um crescimento gradual e quase diário dos preços de vários bens de consumo. Uma situação que começou com a paragem de alguns setores produtivos nos últimos dois anos, devido à pandemia provocada pela COVID-19, e consequente escassez de matérias-primas e materiais transformados, como as embalagens. Mais...

Como avaliar na disciplina de Cidadania e Desenvolvimento?
19 de janeiro. No quadro da nossa colaboração regular com a Escola Secundária de Amora (Seixal), fomos convidados pela equipa de coordenação da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento para animar um processo de reflexão à volta da problemática da avaliação. Mais...
 
Jornadas de ED – Publicação da memória “A digitalização, olhares a partir da Educação para o Desenvolvimento”
Janeiro. A digitalização tornou-se um tema central da problemática do desenvolvimento, e ganhou uma expressão maior no contexto específico da pandemia, com o recursos massivo às plataformas digitais. Mais...
 
 
 

Consulte as atividades

realizadas em: 

 

2021 / 2020 / 2019 / 2018 / 2017

2016 / 2015 / 2014 / 2013

 

 


NOTÍCIAS

Exposição “Para uma história do movimento negro em Portugal, 1911-1933”

Lisboa, 25 maio - 25 junho

A exposição pretende resgatar a memória sobre uma geração de afrodescendentes que no início do século XX constituiu o primeiro movimento panafricanista da cidade de Lisboa. Esta é uma história dos/as portugueses/as negros/as, esta é uma história silenciada de Portugal. Da autoria de Cristina Roldão, José Pereira e Pedro Varela, a exposição é uma iniciativa do Roteiro para uma Educação Antirracista, da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal e estará patente de 25 de maio a 25 de junho, na Biblioteca Palácio Galveias. Mais informações aqui.

Congresso Pan-Europeu de Educação Global
Estrasburgo (França) e online, 31 maio - 1 junho

O Congresso Pan-Europeu de Educação Global, organizado pelo Centro Norte-Sul do Conselho de Europa, visa juntar todos os atores envolvidos na Educação Global / Educação para o Desenvolvimento para discutir o estado da arte deste campo educativo e definir recomendações e prioridades para os próximos 4 anos. Para saber mais aqui. Inscrições (até 30 de maio) aqui.

Solidariedade com a luta de Timor-Leste pela autodeterminação: atores, instituições e contextos
Workshop internacional
Lisboa e online, 16 - 19 maio

No âmbito do projeto "A autodeterminação de Timor-Leste: um estudo de História Transnacional", o CES, em colaboração com a Fundação Oriente, organizam um workshop internacional cujo foco é refletir criticamente sobre os agentes, instituições e contextos da solidariedade internacional com a luta timorense, da sociedade civil aos líderes religiosos, ao longo de duas décadas e meia. Ver programa aqui e inscrições (até 10 de maio) aqui. Durante o mês de maio, terá igualmente lugar um ciclo de cinema - "Timor-Amor. Os filmes" - que pretende trazer olhares plurais sobre Timor desde a colonização portuguesa até ao pós-independência.

Carta aberta à embaixadora de Espanha em Portugal

A Associação de Amizade Portugal-Sahara Ocidental (AAPSO) endereçou uma carta à Embaixadora de Espanha em Portugal onde manifesta a sua indignação e incompreensão pela reviravolta da posição de Madrid em relação ao processo de autonomia do povo saharaui. O CIDAC une-se à AAPSO neste protesto contra a posição do governo espanhol, para quem o plano de autonomia proposto pelo Reino de Marrocos em 2007 representa a proposta "mais séria, realista e credível" para a resolução do conflito saharaui.

SAHARA LIVRE
nº 106, Março 2022

CIMEIRAS EM FEVEREIRO: AFIRMAÇÃO DA DIPLOMACIA SAHARAUI
Enquanto decorre a guerra no Sahara Ocidental, há também esforços diplomáticos em curso no âmbito da ONU. No quadro internacional dos protagonistas, em Fevereiro a diplomacia saharaui afrmou-se em dois fora fundamentais: as Cimeiras da União Africana e da União Africana-União Europeia. Mais...
SAHARA OCIDENTAL: DA GUERRA EM TEMPO DE GUERRA
Os olhos do mundo estão virados para o regresso à guerra na Europa. E com isso "esquecemo-nos" dos confitos à nossa porta que já se arrastam há quase meio século e que as Nações Unidas já poderiam ter resolvido há muito, se quisessem. Mais...
nº106, Março 2022
AAPSO: quem somos?
A questão do Sahara Ocidental:
o que é?

 

“Por uma Europa aberta, justa e sustentável no Mundo”

A Plataforma portuguesa das ONGD apoiou, no primeiro semestre de 2021, 10 iniciativas de organizações da sociedade civil portuguesa, entre as quais o CIDAC, através de um mecanismo financeiro de subgranting no quadro do projeto “Por uma Europa aberta, justa e sustentável no Mundo”, com o objetivo de contribuir para uma maior sensibilização e consciencialização do público em geral e da juventude em particular, para o papel da UE na definição e implementação de políticas públicas abertas, justas e sustentáveis. Veja o vídeo que retrata estas iniciativas.

Digitalização do arquivo Jornal Nô Pintcha

A Biblioteca Nacional do INEP e o Jornal Nô Pintcha assinaram, em setembro, um acordo de cooperação, com o apoio do PNUD, que irá permitir a digitalização do arquivo do Jornal desde 1975 e, assim, salvaguardar 46 anos de história da Guiné-Bissau contidos nas páginas do mais antigo semanário do país.

"Por ti, Portugal, eu juro!"

"Por ti, Portugal, eu juro!" é uma investigação com quatro capítulos que conta a história dos Comandos Africanos da Guiné-Bissau. Uma tropa de elite que arriscou a vida por um país que os abandonou depois da Guerra Colonial. Quase 50 anos depois, falam pela primeira vez. Querem que os seus nomes sejam recordados e lhes devolvam os direitos ganhos no campo de batalha. Para ler, ver e ouvir aqui. Um trabalho de investigação universitária e jornalístico, da Divergente.
 
Novo Arquivo Online para a História das Lutas de Libertação em África
 

Está disponível desde 14 de julho o portal da Associação Tchiweka de Documentação (ATD), colocando online uma grande parte do arquivo que o seu Centro de Documentação tem vindo a gerir, organizar e ampliar, desde 2006. É um trabalho em curso, que continuará a ser desenvolvido, mas estão desde já disponíveis milhares de documentos (textos diversos, imprensa, fotografias, vídeos e outros), com possibilidade de busca e com informação sobre cada documento, com o objetivo de "preservar a memória e aprofundar o conhecimento sobre a luta do povo angolano pela independência e soberania nacional".


Carta Aberta aos Titulares dos Órgãos de Soberania da Guiné-­Bissau

12 organizações da sociedade civil guineense, publicaram a 28 de julho último uma Carta Aberta aos Titulares dos Órgãos de Soberania da Guiné-Bissau na qual manifestam a sua preocupação com a situação que se vive atualmente no país (excerto):

O atual contexto político, social e económico da Guiné-Bissau exige dos titulares dos órgãos de soberania, em especial o Presidente da República, uma postura reconciliadora e de maior abertura ao dialogo, de forma a estabelecer pontes e sinergias entre diferentes sensibilidades politicas e sociais do país em torno dos grandes desígnios nacionais, nomeadamente, a promoção da estabilidade governativa, combate a corrupção e impunidade, promoção e respeito pelos direitos humanos e igualdade e equidade género e de todos os segmentos sociais, entre outros. Veja aqui o texto completo.

Amílcar Cabral, "Análise de alguns tipos de resistência" Edição revista e comentada
Junho

ac.png

A cooperativa Outro Modo lançou este mês o livro "Análise de alguns tipos de resistência": um conjunto de intervenções de Amílcar Cabral proferidas num seminário de formação de quadros do PAIGC em 1969. Estas intervenções tornaram-se num dos seus textos mais difundidos e citados, sistematizando um entendimento da resistência política, económica, cultural e armada então em curso na Guiné-Bissau. Esta edição inclui uma versão revista da tradução original do crioulo para o português e análises do conteúdo, contexto e ressonância atual do texto por Carlos Cardoso, Inês Galvão, José Neves, Raúl Mendes Fernandes e Rui Lopes. O livro está disponível na nossa Loja.


DESTAQUES

IRS_imagem_assinatura.jpg                                          __________________________

Acampamentoclimaximo.png

Acampamento 1.5 - Inscrições abertas

Já te inscreveste no Acampamento 1.5? O acampamento 1.5 será um acampamento de ação pela justiça climática e acontecerá em Melides, entre 6 e 10 de Julho.  As inscrições já estão abertas! Inscreve-te aqui.

site NTP.png

Centenário Nuno Teotónio Pereira

Vida, pensamento e obra de Nuno Teotónio Pereira reunidos num site preparado pelos seus familiares e lançado a 30 janeiro de 2022, quando se cumpriram cem anos do seu nascimento. O site irá sendo alimentado com mais conteúdos, destaques e notícias. Nuno Teotónio Pereira foi uma figura importante na história do CIDAC, como membro do Grupo do BAC (Boletim Anti-Colonial) - que esteve na génese do CIDAC - e, posteriormente, como sócio da associação, à qual doou documentos relativos à luta anti-colonial em Portugal e aos movimentos de libertação africanos. Foi também o autor do projeto arquitetónico da atual sede da associação. O espólio documental doado ao CIDAC está disponível no Centro de Documentação.

 

 
No Dia dos Direitos Humanos, uma carta ao Primeiro Ministro de Marrocos

Dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, 12 organizações não-governamentais portuguesas com intervenção na área da igualdade entre mulheres e homens enviaram uma carta ao Primeiro Ministro de Marrocos na qual expressam a sua preocupação e indignação com a situação da família Sid Brahim Khaya e do povo saharaui e reivindicam a imediata cessação das sistemáticas violações dos direitos humanos no Sahara Ocidental. Leia a carta aqui.
 

post-peticao.jpg

Travar o Tratado que bloqueia o Acordo de Paris
 
A ZERO e a TROCA lançaram uma petição que se propõe “Travar o Tratado que bloqueia o Acordo de Paris”. O propósito desta iniciativa é, por um lado, apoiar o esforço de informar a população sobre as graves consequências do Tratado da Carta da Energia, e por outro, que seja realizado um debate no Plenário da Assembleia da República sobre esta questão. Por fim, pretende-se que o governo português trabalhe com outros governos com o propósito de realizar uma saída coordenada deste tratado. Para mais informações ver aqui e para assinar aqui.
 
CABO DELGADO:
Não nos conformamos com a violência!
 
Mais de 30 organizações da sociedade civil manifestam o desejo de que o Governo português e a União Europeia se envolvam na solução da crise humanitária que atinge a região de Cabo Delgado, em Moçambique. Em comunicado enviado aos órgãos de soberania e à comunicação social é manifestada a preocupação pelo mais de meio milhão de deslocados/as internos/as e é pedido ao Governo que apoie “o Governo de Moçambique na identificação de necessidades e que, respeitando Moçambique como estado soberano, se promova o envolvimento das organizações multilaterais, regionais e dos países vizinhos e da sociedade civil moçambicana”, instando ainda o executivo “a aproveitar a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia (UE) para colocar definitivamente na agenda a crise humanitária de Cabo Delgado”.
 
Contra o Acordo Comercial UE-Mercosul, pela Democracia, Ambiente e Saúde. Assine já!
rede-stop-ue-mercosul-1-1.png

Declaração "Apoio ao Direito Internacional, aos Direitos Humanos e ao Direito de Autodeterminação para o Povo do Sahara Ocidental, a última colónia de África"

Em menos de um mês, numerosas pessoas, em todo o mundo, recolheram 360 subscrições de académicos/as de 39 países. Ver aqui a Declaração com lista de subscritores/as. Tem agora início uma fase crucial desta iniciativa: a divulgação da Declaração pelos órgãos de comunicação social, redes sociais e redes pessoais. O êxito desta campanha depende da difusão da Declaração. Ajude a divulgar!

_____________________________________________

                                                                                                                                                                     

Empregos-para-o-Clima-banner.jpg

    

ttip2.jpg

 

timor4.jpg

amilcar.jpg